PARA DIRETORA A DENÚNCIA SOBRE DESVIO DE RECURSO EM HOSPITAL DE MONTALVÂNIA NÃO PROCEDE

  • Fundação que mantém o hospital colabora com a PC, MP e DENASUS na apuração dos fatos 

  • Hospital de Montalvânia atende 60% pelo SUS, não tem dívida com o FGTS e nem com o INSS 

Foto reprodução

Hospital Monte Rei, na cidade de Montalvânia, no Norte de Minas. 

MONTALVÂNIA (por Oliveira Júnior) – A diretora administrativa da Fundação de Saúde de Montalvânia, Sandra Maria Pimenta Santana, contesta a denúncia de possíveis irregularidades na gestão do Hospital Cristo Rei e afirma que a entidade é bem organizada e está colaborando com os órgãos públicos quanto ao serviço de averiguação da denúncia formulada por um vereador.

Segundo ela, é importante que seja esclarecido uma vez que “não existe, de forma alguma, desvio de recurso público no hospital”, mencionou a diretora em contato com o site do jornalista Oliveira Júnior nesta terça-feira, dia 2 de dezembro, data em que uma equipe da Polícia Civil esteve na unidade e recolheu alguns documentos. “Não procede a denúncia. Entregamos todas as prestações de contas e outros documentos, caso de procedimentos de internações feitas no hospital”, declarou a diretora sobre a ida da PCMG ao hospital. (confira AQUI )

Demonstrando tranquilidade com relação aos fatos, Sandra Pimenta afirma que não houve desvio de recursos públicos no hospital o qual funciona bem, é organizado e tem tido amplo atendimento ao público, principalmente nesse período de pandemia. “Espero que realmente (os documentos) sejam analisados com presteza e que fique esclarecido”, citou a diretora do hospital privado/filantrópico de Montalvânia que presta em 60% o serviço ao Sistema Único de Saúde (SUS). Na nota da PC foi mencionado que o hospital seria municipal.

A diretoria desconhece denúncia referente a desvio de medicamentos. Os medicamentos, esclarece Sandra, são comprados pela Fundação por intermédio de recursos obtidos com prestação de serviço, subvenção municipal, emendas parlamentares. O hospital de Montalvânia também mantém contato com o Estado de Minas Gerais com prestação de serviços contratuais.

A Fundação de Saúde de Montalvânia mantém o Hospital Cristo Rei com recurso relativamente pouco, esclarece a diretora administrativa, mas que é utilizado na íntegra para o funcionamento do hospital. Ela destaca que todos os funcionários atuam com carteira assinada. “Não temos atraso de FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) nem de INSS (Previdência Social). Portanto, temos todas as certidões negativas necessárias para qualquer convênio”, explicou Sandra Pimenta.

Na concepção dela, se tudo isso acontece – referindo a condição de adimplência, legalidade – é porque os recursos estão sendo utilizados no hospital. “São poucos recursos, mas que estão sendo muito bem utilizados”, completou.

Sandra Pimenta declarou que está consciente e tranquila com relação à gestão no Hospital Cristo Rei e que, juntamente, com a diretoria da Fundação, tem colaborado com os trabalhos da Coordenadoria Regional de Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde e do Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Únicos de Saúde (Denasus). “Prestamos todos os esclarecimentos na busca de comprovar que a denúncia é infundada”, finaliza a diretora administrativa do Hospital Cristo Rei, de Montalvânia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLISÃO FATAL ENTRE ÔNIBUS E CAMINHÃO NA BR-122, EM JANAÚBA: UMA PESSOA MORRE POR TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO

ACIDENTE NA MG-401, PERTO DE JANAÚBA; UMA PESSOA MORREU E OUTRA FICOU FERIDA: CAMINHÃO TOMBOU

GOVERNADOR ANUNCIOU NESTE SÁBADO A INCLUSÃO DO NORTE DE MINAS NA “ONDA ROXA”: AÇÃO CONTRA A COVID