MORRE NO PIAUÍ O PROFESSOR GORUTUBANO CORCINO MEDEIROS, VÍTIMA DA COVID-19; ELE FOI DEFENSOR DAS VÍTIMAS DA TRAGÉDIA DA BARRAGEM DOS ALGODÕES

  • Rompimento da barragem no Piauí foi em 2009 e casa e plantação de Corcino foram atingidas 
  • “Sou mineiro, mas do semiárido, estava acostumado com a seca, conhecia a importância a água. Comprei as terras exatamente no Vale do Piranji e o próprio rio levou tudo de volta”, contava ele 
  • Doutor em História e Professor aposentado da UnB, Corcino Medeiros estava com 89 anos 
  • Em 1999, ele foi agraciado com a Medalha Barão de Gorutuba pela Câmara de Vereadores de Janaúba 
Foto Maria Romero/G1
Corcino Medeiros dos Santos, gorutubano que se tornou uma referência internacional em História e foi em busca de ajuda para as vítimas de rompimento de barragem no Piauí.

JANAÚBA (por Oliveira Júnior) – O professor gorutubano Corcino Medeiros dos Santos faleceu na noite dessa quinta-feira, dia 9 de julho, em Teresina, no estado do Piauí. Aos 89 anos, ele não resistiu à enfermidade que o levou a ficar 10 dias internado em hospital após complicações causadas pela Covid-19. O hospital informou ainda que o paciente era hipertenso e evoluiu com complicações renais. Corcino morava em Cocal, no Piauí, para onde foi em 2005 após obter a aposentadoria das atividades de professor universitário da Universidade de Brasília (UnB).
Com Doutorado em História, o mineiro Corcino Medeiros nasceu no dia 2 de fevereiro de 1931 no município de Porteirinha e passou a infância no Vale do Gorutuba, principalmente em área onde mais tarde viria a ser a cidade/município de Janaúba. Há 15 anos se mudou para o Piauí, mais precisamente no Vale do Piranji, onde implantou o projeto de ovino, caprino e fruticultura. “Sou mineiro, mas do semiárido, estava acostumado com a seca, conhecia a importância a água. Comprei as terras exatamente no Vale do Piranji e o próprio rio levou tudo de volta”, contava ele.

Imagem TV Câmara 24/11/2011
Relatos do professor Corcino Medeiros dos Santos sobre a tragédia de rompimento de barragem no Piauí em 27 de maio de 2009. Entrevista ocorrida no dia 24 de novembro de 2011 durante a manifestação no gramado do Congresso que lembrava vítimas de tragédias naturais.

O gorutubano foi morar na terra natal da esposa, que conheceu em Brasília-DF no período em que lecionava na UnB. Mas, o rompimento da barragem dos Algodões destruiu tudo. Isso foi em 2009. Corcino tinha mais de 300 cabeças de gado e quase uma centena de hectares de terras, grande parte plantada e onde já vendia banana, mamão e macaxeira e pretendia também produzir comercialmente laranja. Com o rompimento, nove pessoas morreram e pelo menos 4 mil foram afetadas de alguma forma.
Pequenos produtores rurais perderam a roça, centenas de cabeças de gado e documentos de valores inestimáveis, dentre eles três livros semiacabados do gorutubano: O Tabaco da Bahia no Comércio Internacional de Portugal; Economia e Sociedade do Maranhão e Grão Pará, 1780-1820 e Moçambique e Brasil no Comércio Português do Índico afro-asiático.
Foto álbum pessoal
Professor Corcino Medeiros dos Santos nasceu em Porteirinha-MG e foi uma das vítimas afetadas pelo rompimento de barragem em 2009, em Piauí. Ele faleceu no dia 9 de julho de 2020, em Teresina-PI.

“Construí a mesma casa, no mesmo lugar, na mesma planta, de teimoso. Mas não pude construir o resto porque era tudo irrigado com água do rio. O meu projeto de vida anterior era produzir hortifruti e animais de pequeno porte, mas não pude retornar, abandonei a criação”, lamentava Corcino Medeiros em entrevista a João Rodrigues, publicada no site Santana Hoje em 25 de maio de 2019.
Filho de proprietário de terras no semiárido mineiro (Norte de Minas), esse gorutubano teve apenas dois meses de aula particular na casa paterna. Aos 13 anos de idade deixou o Vale do Gorutuba e foi para São Paulo, trabalhar em Tupã, na região Oeste Paulista. Trabalhava durante o dia e estudava à noite. Esse esforço rendeu ao norte-mineiro uma bolsa para cursar o Ginasial em sistema internato na cidade de Lins. Em 1956, aos 25 anos, iniciou o curso de História na Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo. Após a graduação, já em 1960, fez especialização na USP e foi lecionar. Mesmo diante das dificuldades, o gorutubano não parou.
DOUTOR CORCINO
Corcino Medeiros dos Santos fez mestrado em História Social pela Universidade de São Paulo (1969) e doutorado em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1973). Foi sócio do Instituto Histórico Brasileiro e da Sociedade Portuguesa de Estudos do Século XVIII (18).
PREMIAÇÕES
Em 1983, Corcino Medeiros recebeu o Prêmio Nacional de História, concedido pelo Instituto Nacional do Livro. Em 1990, foi o único brasileiro entre 10 em todo mundo a receber um prêmio do Banco de Espanha. Em 1999, de volta ao Norte de Minas, Corcino Medeiros foi agraciado com a Comenda Medalha Barão de Gorutuba concedida pela Câmara Municipal de Janaúba.
CIDADÃO HONORÁRIO DO PIAUÍ
Em 22 de maio de 2010, a Assembleia Legislativa do Piauí aprovou a concessão do Título de Cidadão Piauiense ao senhor Corcino Medeiros dos Santos. A honraria foi uma indicação do deputado estadual Marden Menezes ao reconhecer a dedicação do gorutubano pelas causas sociais e no estudo sobre a história do país. Ao deixar a capital federal e se transferir para Cocal, Corcino Medeiros retirou da sua biblioteca particular aproximadamente 5 mil títulos (livros e publicações) e doou para a municipalidade para onde foi morar. De acordo com o deputado Marden Menezes, o feito, além de demonstrar a generosidade desse gorutubano, registra uma das maiores doações do gênero em toda a história do Piauí.
CIDADÃO COCALENSE
No dia 25 de setembro de 2015 o professor e escritor Corcino Medeiros dos Santos compareceu à Câmara Municipal de Cocal ocasião em que lhe foi outorgado o Título de Cidadão Cocalense por indicação do vereador Lucimar do Nascimento em reconhecimento ao trabalho sério, árduo, com  muita  luta e perseverança desempenhado pelo gorutubano naquele município do interior do Piauí.
BARRAGEM ROMPE
Ao relatar sobre a morte de Corcino Medeiros, o site Cidadeverde.com destacou que “o professor doutor Corcino é reconhecido em todo Estado, principalmente entre os Cocalenses, devido à importância que teve na garantia dos direitos das vítimas do rompimento”, referindo ao rompimento da Barragem de Algodões, em 27 de maio de 2009, em Cocal (289 quilômetros ao norte de Teresina).
Corcino Medeiros era presidente Associação das vítimas e amigos das vítimas da barragem de Algodões (Avaba). Ele foi atrás de ajuda para as famílias afetadas pela enchente. A luta do gorutubano ultrapassou os limites do estado piauiense. Esteve em Brasília juntamente com os produtores atingidos pelo rompimento. Corcino liderou essa mobilização social.
Foi uma luta incansável, mas que deu resultado. Em fevereiro deste ano (2020), o Governo do Estado concluiu o pagamento das indenizações às vítimas. Isso depois de quase 11 anos após o rompimento da barragem que acumulava 50 milhões de metros cúbicos de água (quase que a mesma quantidade do volume (12% a 15%) de água que se encontra hoje, julho de 2020, a barragem do Bico da Pedra, em Janaúba, que tem capacidade de armazenamento em torno de 600 milhões de metros cúbicos de água).
POVO DESPEDE E PREFEITURA DECRETA LUTO
“Foi vítima do vírus mortal que assola nossa sociedade. Infelizmente não resistindo e nos deixando", menciona a Associação das Vítimas da Barragem Algodões em nota sobre a morte de Corcino Medeiros, que era presidente dessa entidade.
A Prefeitura de Cocal decretou luto oficial por três dias devido ao falecimento do cidadão ilustre que lutou e conseguiu justiça às inúmeras vítimas do rompimento da barragem no interior do Piauí. Houve uma comoção na cidade de Cocal tão logo foi oficializada a morte do professor. A população aguardou na entrada da cidade a chegada do corpo e seguiu em cortejo fúnebre até o cemitério, onde o gorutubano Corcino Medeiros dos Santos foi sepultado.
GORUTUBANO FEZ HISTÓRIA NO PIAUÍ
A ligação do gorutubano Corcino Medeiros com o Piauí começou em Brasília-DF onde em 2004 conheceu a piauiense Marlene Rodrigues, que havia saído de Cocal para trabalhar como diarista na capital nacional. Menos de dois anos depois Marlene retorna para a cidade natal em companhia do professor Corcino e estabelecendo raízes no Piauí, estado de onde veio Francelino Pereira dos Santos para ser governador de Minas Gerais no período de 1979 a 83. Foi também senador por Minas entre 1995 e 2003 e deputado federal pelo território mineiro de 1963 a 1979.
Sendo assim, Corcino Medeiros fez o caminho inverso de Francelino. O piauiense de Angical do Piauí liderou Minas, enquanto que o gorutubano de Porteirinha foi fazer história em solo piauiense. Francelino faleceu em 21 de dezembro de 2017 aos 96 anos.
"Tive a honra de ser o autor do título que lhe concedeu a cidadania piauiense e de ter estado ao seu lado durante todos os passos, manifestações e atos em prol das famílias cocalenses, na busca por Justiça. Todo o seu trabalho não foi em vão”, declarou o deputado estadual Marden Menezes ao acrescentar que “toda aquela angústia, das pessoas que perderam o que tinham, foi canalizada pelo senhor Corcino, um homem já de idade, como motivação para não descansar até que a Justiça ao seu alcance, pudesse ser concretizada”. 
O deputado finaliza dizendo que o gorutubano Corcino Medeiros dos Santos deixou uma história, que será lembrada para sempre e já está marcada, na História do Piauí.
MENSAGENS DOS AMIGOS
“Corcino Medeiros foi um excelente professor e escritor. Saudade eterna tio”, expressou a janaubense Maria Aparecida Fernandes. “Descanse em paz. Tive o prazer de conhecer essa figura de pessoa. Educado, uma pessoa simples”, comentou Socorro Vasconcelos, de Cocal. “Perdemos um grande amigo”, menciona Simone Silva.
Tatiana Nascimento relata que Cocal (cidade onde Corcino morava) perdeu um grande homem. Da mesma forma manifesta Amparo Fontenele para quem o professor Corcino “sempre estava do lado do mais fraco, lutando sempre”. Meus sentimentos a toda família, só tenho a agradecer por tudo que ele fez por nós, vítimas do rompimento da barragem”, citou Teresa Crysty sobre o falecimento do professor gorutubano.
Adriana Luiza, vereadora pelo município de Cocal, declarou que o Doutor Corcino Medeiros Santos cumpriu o seu papel. “Veio a Cocal como um anjo, para lutar com coragem e sabedoria pelo direito de muitos cocalenses! É com muito pesar e profunda tristeza que sentimos hoje sua ausência eterna! Um cidadão cocalense que honrou o seu papel”, comentou a vereadora.
SERVIÇO SECRETO NO BRASIL
Em janeiro de 2006, em reportagem do jornal O Norte (confira AQUI ), o historiador janaubense Corcino Medeiros dos Santos anunciava o lançamento de mais um livro que retrata a história do Brasil. No livro, o escritor relata a estratégia do Marquês de Pombal - personagem de grande importância durante o Brasil colonial - que previa a instalação de um serviço secreto para monitorar as fronteiras dos territórios português e espanhol.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLISÃO FATAL ENTRE ÔNIBUS E CAMINHÃO NA BR-122, EM JANAÚBA: UMA PESSOA MORRE POR TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO

ACIDENTE NA MG-401, PERTO DE JANAÚBA; UMA PESSOA MORREU E OUTRA FICOU FERIDA: CAMINHÃO TOMBOU

GOVERNADOR ANUNCIOU NESTE SÁBADO A INCLUSÃO DO NORTE DE MINAS NA “ONDA ROXA”: AÇÃO CONTRA A COVID