SERVIDORES VÃO ÀS RUAS PARA PROTESTAR CONTRA AS SUAS DEMISSÕES PELA PREFEITURA DE JANAÚBA NO PERÍODO DE PANDEMIA

  • Foi o segundo protesto em frente à prefeitura em uma semana; os demitidos já manifestaram por 3 vezes em frente à Câmara de Vereadores 
  • Prefeito chama demitidos para conversar, mas desmarca a reunião quando os servidores o aguardavam no gabinete 
Imagem e fotos Oliveira Júnior
Protesto de servidores que foram demitidos pela Prefeitura de Janaúba no dia 30 de abril de 2020, no período de pandemia. Mais de 200 funcionários, a maioria da Educação, foram dispensados.

JANAÚBA (por Oliveira Júnior) – Mesmo com a chuva fina que caiu na cidade por alguns minutos na tarde desta segunda-feira, dia 25 de maio, os servidores demitidos pela Prefeitura de Janaúba há quase um mês foram às ruas protestarem contra a perda dos seus empregos sob a alegação, da prefeitura, a falta de recurso para pagá-los. No dia 30 de abril deste ano, na véspera do Dia do Trabalhador, o prefeito Carlos Isaildon Mendes (PSDB) demitiu mais de 200 funcionários ( leia AQUI), sendo que a maioria (196) é da Educação.
Concentrados na praça Rômulo Sales de Azevedo, em frente à agência do Banco do Nordeste, os demitidos caminharam até em frente da sede administrativa da Prefeitura na praça Dr. Rockert. O detalhe é que, por coincidência, o trajeto de aproximadamente 400 metros de protesto dos servidores demitidos levou em consideração três pontos ligados diretos e indiretamente ao prefeito: o início foi em frente ao banco onde ele trabalhou, passou pela rua Francisco Sá onde o pai mora e acompanhou da sacada do prédio a reivindicação dos servidores e finalizou em frente ao gabinete do prefeito.
Com apitos, cornetas e cartazes, os demitidos estavam com máscaras de proteção facial. Em coro, eles buscavam o apoio do público no sentido a convencer ao prefeito para que os professores e outros servidores dispensados fossem retornados aos seus devidos cargos, inclusive com decisão retroativa a 30 de abril, ou seja, desconsiderar as dispensas. São mais de três semanas sem emprego e renda nesse período de pandemia referente à Covid-19.
Desde o dia 4 de maio os demitidos fazem manifestos e tentam sensibilizar a atual administração a rever a decisão pelo encerramento dos contratos de trabalho desse pessoal alegando a queda na arrecadação. Os trabalhadores que perderam o emprego manifestaram por quatro vezes em frente à Câmara Municipal durante as reuniões dos vereadores nos dias 4, 6 e 8 de maio. (Servidores demitidos protestam na Câmara e vereador João compara o prefeito de Janaúba a judas: “joga a pedra e esconde a mão” )
Indignados com o ato do prefeito em dispensá-los, os servidores estiveram hoje pela segunda vez em frente à Prefeitura de Janaúba. No dia 19, terça-feira da semana passada eles concentraram e protestaram em frente ao gabinete do prefeito ( veja AQUI). Pelo menos três secretários municipais (Administração, Planejamento e Saúde) passaram pela porta principal da sede administrativa da prefeitura onde ocorria o manifesto dos servidores.
Na tarde de hoje, segunda-feira, dia 25, os servidores, na maioria professores e auxiliar de classe e de serviços gerais, ficaram concentrados em frente à prefeitura. O secretário de Saúde passou em frente à sede administrativa e foi para o prédio da Secretaria de Saúde no momento da chegada dos manifestantes.
O prefeito Carlos Isaildon ao chegar no poder executivo municipal foi ao protesto e, através do serviço de som dos manifestantes, propôs uma reunião com uma comissão de três servidores demitidos. O prefeito disse que os dispensados não o procuraram antes, desde o momento das demissões, para conversar.
Num ato pacífico, os manifestantes decidiram aguardar em silêncio em frente à prefeitura, enquanto a comissão mantivesse o diálogo com o prefeito na tarde desta segunda-feira. Entretanto, a conversação não avançou. Não houve a reunião proposta pelo prefeito perante os manifestantes. A alegação é de que ele, o gestor, precisaria do suporte dos seus secretários e com isso marcou a reunião para quarta-feira, dia 27, às 15h, na prefeitura.
Em entrevista ao jornal Estado de Minas, no dia 12 de maio, o prefeito de Janaúba disse que a dispensa dos 200 contratados vai representar uma economia mensal da ordem de R$ 400 mil para o município (confira AQUI ). “Caso não ocorra corte de despesas com folha de pagamento de pessoal, o município extrapolaria o limite “prudencial” a ser respeitado destes gastos, conforme previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que é de 51,3%”, alegou o prefeito.
A deputada estadual Beatriz Cerqueira (PT) anunciou no dia 20, quarta-feira da semana passada, em sua rede social, ( leia AQUI) que tomaria providência com relação à demissão de aproximadamente 200 professores e profissionais da Educação pela Prefeitura de Janaúba no dia 30 de abril nesse período de pandemia diante da Covid-19, o novo coronavírus. Ela denunciaria o fato ao Ministério Público de Minas Gerais. De acordo com a deputada, o recurso do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) que o município recebe é calculado de acordo com as matrículas. O número de matrículas determina o pessoal necessário nas escolas, sejam efetivos ou contratados. “Mesmo durante a pandemia e suspensão das atividades escolares, os municípios continuam recebendo os recursos do Fundeb”, completa Beatriz.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLISÃO FATAL ENTRE ÔNIBUS E CAMINHÃO NA BR-122, EM JANAÚBA: UMA PESSOA MORRE POR TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO

ACIDENTE NA MG-401, PERTO DE JANAÚBA; UMA PESSOA MORREU E OUTRA FICOU FERIDA: CAMINHÃO TOMBOU

SISTEMA DE SAÚDE VERIFICA CASO SUSPEITO DE CORONAVÍRUS EM JANAÚBA