FUNDAÇÃO HOSPITALAR REPUDIA ATO DO HOMEM QUE ATIROU NA RECEPÇÃO DO HOSPITAL REGIONAL; ELE TEVE ACESSO NEGADO POR NÃO USAR MÁSCARA DE PROTEÇÃO

  • Em nota, direção do hospital cita que funcionário foi feito refém; segundo a PM, policial penal evitou que a situação fosse mais agravante 
  • Homem teria ido visitar a mãe que buscava tratamento em ferimento proveniente da agressão sofrida do companheiro 

  • Homem atira na portaria e quebra o vidro da recepção do Hospital Regional de Janaúba 

  • Maior hospital da região da Serra Geral de Minas não tem segurança que garanta a integridade física e moral dos pacientes e dos profissionais de saúde
Fotos rede social
Recepção do Hospital Regional de Janaúba após disparos de arma de fogo na noite deste domingo, dia 17 de maio de 2020.

Nota da Fundação Hospitalar de Janaúba, mantenedora do Hospital Regional de Janaúba, sobre o fato ocorrido na noite deste domingo, dia 17 de maio de 2020.

  
JANAÚBA (por Oliveira Júnior) – Medo. Essa é a sensação que os profissionais que trabalham no Hospital Regional de Janaúba vivem na noite deste domingo, dia 17 de maio, diante da atitude de um homem em ter entrado na unidade e efetuado disparos com uma arma na recepção na maior unidade hospitalar da região da Serra Geral de Minas. Não houve feridos. O autor dos tiros foi preso pela Polícia Militar. Mas, a cena mostra mais uma vez a insegurança no local que não tem equipe específica para realizar a segurança patrimonial e humana.


Em janeiro de 2016, durante reunião da diretoria e do Conselho Curador do Hospital Regional, houve o alerta sobre a falta de segurança que garanta a integridade física e moral dos profissionais que prestam assistência aos enfermos. Recentemente até foi feito o procedimento visando a contratação de empresa especialista em segurança pública e patrimonial, contudo a direção do hospital não concretizou essa medida.
A cena ocorrida na noite deste domingo, dia 17 de maio, mostra claramente a falta de política de segurança no Hospital Regional de Janaúba, local onde, infelizmente, tem sido alvo de ameaças físicas e furtos de objetos de funcionários, pacientes e acompanhantes. Desta vez a situação foi mais agravante, pois, segundo relatos, ocorreram disparos de arma de fogo na entrada principal da unidade hospitalar.


Os tiros acertaram o vidro da recepção, até então instalada numa espécie de “aquário” com a finalidade em proteger os funcionários que providenciam o cadastro das pessoas a serem atendidas na triagem e no pronto socorro do Hospital Regional. Devido aos disparos, o vidro da recepção foi danificado. Nenhum funcionário foi atingido.
Após os disparos, o atirador fugiu num carro. O fato foi comunicado ao 51º Batalhão da Polícia Militar de Janaúba. Informações da PM apontam que um homem foi preso nesta noite após colidir com o veículo na rodovia MG-401, próximo a um motel, na saída Janaúba para Verdelândia e Jaíba. Ele está sendo encaminhado para a Delegacia de Polícia onde prestar esclarecimentos a respeito dos fatos.
RELATO DA POLÍCIA MILITAR
Em nota divulgada na manhã desta segunda-feira, dia 18, o 51º Batalhão da PM informou que na noite do dia anterior uma mulher ligou para o quartel de Janaúba dizendo que havia sido agredida pelo marido e em função disso a mesma estaria ferida e estaria indo ao pronto socorro do Hospital Regional. Pouco tempo depois, a unidade de comunicações da PM recebeu outras ligações, via 190, “relatando que havia um indivíduo portando arma de fogo querendo entrar no hospital para ver sua mãe (a vítima de agressão acima citada) sem fazer o uso da máscara de proteção”.
No relato da PM consta que um “policial penal que estava escoltando um preso interveio no fato dando ordem legal para que o indivíduo soltasse a arma, porém, a ordem foi desobedecida”. Segundo a polícia, o homem efetuou dois disparos que acertaram o vidro da recepção que foi destruído e em seguida fugiu num carro o qual, momento depois, foi localizado nas imediações da rodovia MG-401, nas proximidades do residencial Clarita, colidido num canteiro. Os policiais localizaram o fugitivo num matagal perto do local onde havia abandonado o veículo.
Com esse homem foi apreendida uma arma, uma pistola, com 14 munições. Diante das circunstâncias, os militares estiveram na residência do acusado e lá encontraram mais das armas e munições que foram recolhidas. Conforme a PM, “o suspeito, que aparentemente estava embriagado, relatou que os funcionários do hospital não o deixaram ver sua mãe”. O pai desse homem foi conduzido à delegacia sob a acusação de agressão à mulher, mãe do rapaz que, segundo a PM, efetuou os disparos na recepção do hospital. O caso agora será apurado pela Polícia Civil.
FUNDAÇÃO HOSPITALAR REPUDIA O ATO
Em nota distribuída na noite desta segunda-feira, dia 18 de maio, a direção da Fundação Hospitalar de Janaúba, mantenedora do Hospital Regional de Janaúba, repudia o ato cometido pelo rapaz na noite de ontem, domingo, dia 17, ao desferir disparos de arma na recepção da unidade hospitalar após ter o seu acesso negado diante do mesmo não está usando máscara de proteção facial, recomendação do sistema de saúde nesse período de pandemia.
“Imediatamente após não ser autorizado a entrar sem a máscara, e sem proferir nenhum argumento, o homem sacou uma arma de fogo, tomando o porteiro desta instituição como refém, o agredindo e colocando a arma de fogo apontada para a cabeça do funcionário e exigindo que este o levasse até onde estava a Senhora sua mãe”, menciona a direção da Fundação Hospitalar.
“Vimos por meio desta, expressar nosso imenso repúdio aos atos praticados por este homem, uma vez que este Hospital destina-se logicamente ao atendimento de pacientes com as mais diversas patologias, e que este evento criminoso tumultuou todo o ambiente, quebrando totalmente o sossego, e também abalou sobremaneira vários funcionários desta Fundação e também todos os pacientes que ali se encontravam”.

Na nota, a direção da entidade que mantém o Hospital Regional informa que os funcionários que ficaram na linha de frente no momento do ocorrido, visto que estes sofreram diretamente a ação, foram imediatamente afastados devido ao imenso abalo psicológico sofrido em decorrência dos atos deste. “Acrescentamos que será destinado a estes funcionários todo o cuidado psicológico necessário para superação deste evento que os abalou de maneira indescritível, visto que foram acometidos por esta conduta criminosa, enquanto cumpriam seu horário de trabalho”, finaliza a nota emitida pela Fundação Hospitalar de Janaúba.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLISÃO FATAL ENTRE ÔNIBUS E CAMINHÃO NA BR-122, EM JANAÚBA: UMA PESSOA MORRE POR TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO

ACIDENTE NA MG-401, PERTO DE JANAÚBA; UMA PESSOA MORREU E OUTRA FICOU FERIDA: CAMINHÃO TOMBOU

SISTEMA DE SAÚDE VERIFICA CASO SUSPEITO DE CORONAVÍRUS EM JANAÚBA