SERVIDORES INTERROMPEM A GREVE, FAZEM CONTRAPROPOSTA E ESPERAM QUE O PREFEITO DE JANAÚBA CUMPRA O COMPROMISSO ASSUMIDO COM O SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS DA PREFEITURA

  • Servidores propõem reajuste salarial de 15%, sendo 5% anuais em julho, mas o prefeito recusa e sugere pagar em novembro de 2018, 2019 e 2020 desde que não ultrapasse o limite da folha
  • Equipe do prefeito queria cortar o dia parado dos grevistas, mas o Sindicato venceu essa batalha mostrando que a paralisação por 8 dias foi legal
  • Jornada de trabalho do pessoal de serviços gerais reduz de 40h para 30h por semana a partir de amanhã, dia 22
  • Pagamento de progressão horizontal/desempenho na função será em novembro de 2018, mas servidores farão greve caso o prefeito não cumpra essa promessa
JANAÚBA (por Oliveira Júnior) – “A greve não acabou. Estamos interrompendo a paralisação e vamos fiscalizar o cumprimento dos compromissos acordados. Se o prefeito não cumprir com as promessas iremos novamente paralisar as atividades de todos os setores da Prefeitura de Janaúba”, declarou Marilea Ribeiro Barbosa, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Janaúba (Sindijana), nesta quarta-feira, dia 21 de março, durante assembleia com os funcionários para avaliar as contrapropostas das reivindicações da categoria. Iniciada na quarta-feira, dia 14, a greve é interrompida após oito dias de paralisação.
Foto Sindijana
Servidores da Prefeitura de Janaúba expõem as reivindicações.
Na verdade, conforme foi explícito na assembleia, o consenso está sendo possível graças a força e a vontade do sindicato dos servidores em busca de solução para a gravidade dos problemas que afetam o funcionalismo público, sobretudo no que tange à defasagem salarial, precariedade nas condições de trabalho e a falta de política pública de relacionamento pessoal, considerando que, infelizmente, há casos de assédio moral e de pressão contra os servidores.
REAJUSTE PODE NÃO ACONTECER SE O PREFEITO EXTRAPOLAR A FOLHA
Diante da insistência do prefeito em não avançar nas negociações quanto à valorização salarial dos servidores, o Sindijana fez a proposta e também a contraproposta. A entidade reivindicava a recomposição salarial de 26%. O prefeito e sua equipe não manifestaram a respeito disso. Diante disso, o sindicato sugeriu o reajuste de 15% no salário do funcionalismo e até propôs que esse percentual fosse dividido em três parcelas anuais de 5% cada, sendo a primeira em julho deste ano, a segunda no mesmo mês de 2019 e a terceira em julho de 2020. Contudo, o prefeito não aceitou essa proposta de valorização justa dos servidores.
Foto Sindijana
Marilea Barbosa, presidente do Sindijana: honra em representar com seriedade e coragem os funcionários públicos de Janaúba.
Alegando falta de recurso, o prefeito propôs pagar o reajuste salarial em três parcelas anuais, mas a partir de novembro deste ano. Ou seja, 5% no penúltimo mês de 2018, 5% em novembro de 2019 e 5% em novembro de 2020. Só que isso pode não acontecer, uma vez que a proposta da atual administração é que esse reajuste anual de 5% estaria condicionado aos gastos com a folha de pessoal, quer dizer, se a despesa do governo do atual prefeito com o pessoal estiver quase que extrapolando o limite permitido não haveria a concessão do reajuste de 5% no salário do funcionalismo público.
FICOU PARA NOVEMBRO O PAGAMENTO POR DESEMPENHO
Com relação ao pagamento da progressão horizontal em atraso, gratificação de até 3% a cada três anos de acordo com o desempenho do funcionário concursado, foi acordado que a mesma será efetuada em novembro deste ano. Essa vantagem salarial somente para servidor efetivo (o pessoal de processo seletivo não é incluso). Alguns itens das reivindicações ainda estarão em avaliação, caso do pagamento de férias vencidas, a escala de trabalho 12h por 36h (trabalha 12 horas seguidas e folga 36h, um dia e meio). Também segue em avaliação a legislação do estatuto do servidor e o plano de cargo e salário do funcionalismo público municipal.
Foto Sindijana
Após 8 dias em greve, servidores da prefeitura interrompem a paralisação com a garantia de que as reivindicações serão atendidas.
JORNADA DE TRABALHO REDUZIDA PARA 30H/SEMANA
Os funcionários do setor de serviços gerais obtiveram a conquista da redução da jornada de trabalho. Eles passarão a atuar por 30 horas semanais ao contrário das 40h por semana que vigorou até antes da greve. Isso já vale a partir de amanhã, quinta-feira, dia 22 de março, quando o servidor na função de serviços gerais em qualquer secretaria irá cumprir a jornada diária de seis horas corridas. Antes eram 8 horas divididas em dois turnos com intervalo de duas horas.
Outra conquista é a licença maternidade prolongada de 4 para 6 meses e a licença paternidade que será de 10 dias. O Sindijana reivindica a licença de 20 dias para o pai assistir o filho recém-nascido. O Sindijana, por ter mais de 200 filiados, continuará tendo à disposição dois servidores, nesse caso a presidente e a secretária, cedidos pela municipalidade. Com relação ao adicional de insalubridade foi estabelecido que a prefeitura deverá, no prazo de até 90 dias a partir da homologação do acordo com o sindicato, providenciar o estudo e definir os setores insalubres e o índice desse adicional.
MARILEA: HONRA, SERIEDADE E CORAGEM
Ao agradecer o empenho dos servidores, principalmente no setor de serviços gerais, no movimento pela valorização do funcionalismo, a presidente do Sindijana, Marilea Barbosa, disse que isso é a comprovação da força da categoria. “Somos fortes porque somos unidos”, frisou a líder dos funcionários da prefeitura.
Em tom vitorioso e ao mesmo tempo mostrando a garra da sua gestão, Marilea Barbosa destacou que ela representa todos os servidores da prefeitura, por exemplo, desde o gari até o médico. “Estivemos e sempre estaremos atentos e em defesa de vocês, servidores. Somos abertos ao diálogo. Tomamos decisões sábias”, mencionou a presidente do Sindijana.
Após mais de três horas reunida com a equipe do prefeito – terceira reunião realizada com o prefeito desde quando foi aprovada a greve – e depois apresentar as propostas aos servidores e receber o aval para interromper a greve, Marilea Barbosa foi taxativa ao afirmar que a diretoria do Sindijana tem atuado com honra, seriedade e coragem. “Não fui e nem só manipulada. Tenho consciência e pulso para representar a categoria”, citou a líder sindical que nesta quarta-feira comemora conjuntamente as conquistas para os servidores e também o seu aniversário natalício.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLISÃO FATAL ENTRE ÔNIBUS E CAMINHÃO NA BR-122, EM JANAÚBA: UMA PESSOA MORRE POR TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO

ACIDENTE NA MG-401, PERTO DE JANAÚBA; UMA PESSOA MORREU E OUTRA FICOU FERIDA: CAMINHÃO TOMBOU

SISTEMA DE SAÚDE VERIFICA CASO SUSPEITO DE CORONAVÍRUS EM JANAÚBA