DEZOITO PESSOAS VÍTIMAS DE ATAQUE EM CRECHE RECEBEM ALTA EM JANAÚBA

Foto Juliana Peixoto
Os dois filhos de Elaine estavam internados e receberam alta.
JANAÚBA (por Juliana Peixoto e Marina Pereira) – Dezoito pessoas, sendo dezesseis crianças, vítimas do ataque a uma creche em Janaúba, receberam alta na manhã desse sábado, dia 7 de outubro, dos hospitais de Montes Claros e Janaúba. Segundo a pediatra do hospital Fundajam de Janaúba, Cintia Neres Brandão Freitas, todas as crianças que estavam internadas na unidade receberam alta.
De acordo com as recomendações da médica, os pais devem voltar ao hospital se os filhos apresentarem falta de ar, dificuldade para respirar e alimentar, dor de cabeça, tosse e tontura.
"Elas estão saindo com uma folha com orientações, caso sintam algum sintoma estamos pedindo para retornar ao hospital. As crianças ficaram internadas em observação porque tiveram contato com a fumaça, alguns apresentaram tosse leve. Todos estão indo bem pra casa", disse.
Outras 25 pessoas ainda seguem hospitalizadas por conta do incidente. Entre elas, uma professora permanece internada no Hospital Regional em Janaúba. O hospital informou, na manhã desse sábado, que o estado de saúde é estável.
Foto Juliana Peixoto
Van levou pais e crianças de volta para casa em Janaúba .
Entre os feridos, nove crianças estão em estado grave. Na tarde desse sábado, o Hospital de Pronto Socorro João XXIII informou que duas das sete crianças internadas na unidade respiravam sem aparelhos.
Na última quinta-feira, dia 5, o vigia Damião Soares dos Santos foi à creche onde trabalhava, jogou álcool no local, ateou fogo nas crianças e nele mesmo. Oito crianças, uma professora e o autor do ataque morreram.
Ida para casa
Na saída do hospital em Janaúba, as mães e as crianças não escondiam a alegria.
Elaine Pereira Silva é mãe de gêmeos de 4 anos que também sobreviveram à tragédia. "Estamos muito felizes. Deus abençoe, que não aconteça nada com eles".
Kaio Pierre Santos também estava na creche no momento do ataque. Na saída do hospital, o menino, de 2 anos, resumiu em poucas palavras o que iria fazer: "Quero ir pra casa de vó".

Daniele Ferreira, mãe de Hemili Sofia disse estar "pulando de alegria" por levar a pequena para casa depois de dois dias no hospital, por causa da inalação de fumaça. Ela conta, no entanto, que a filha de três anos está assustada, e não quer voltar para a escola. (Fonte: G1 Grande Minas)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ACIDENTE NA MG-401, PERTO DE JANAÚBA; UMA PESSOA MORREU E OUTRA FICOU FERIDA: CAMINHÃO TOMBOU

SISTEMA DE SAÚDE VERIFICA CASO SUSPEITO DE CORONAVÍRUS EM JANAÚBA

ASSASSINATO EM JANAÚBA: VÍTIMA MORREU AO SER ATINGIDA POR GOLPE DE FACA