NORTE DE MINAS COM NÚMERO EXCESSIVO DE POÇOS ARTESIANOS

DADOS DA ANA MOSTRAM QUE NO NORTE DE MINAS TENHAM 10 MIL POÇOS CADASTRADOS E OUTROS 30 MIL POÇOS CLANDESTINOS

MONTES CLAROS (por Girleno Alencar) – O Norte de Minas está se transformando em “tabuleiro de pirulitos”, pois têm, aproximadamente, 40 mil poços artesianos perfurados, sendo que 2/3 (dois terços), algo em torno de 30 mil poços, são clandestinos. A principal consequência disto é que está sendo extraída muita água subterrânea, conforme alerta de Leonardo de Almeida, coordenador de Água Subterrânea da Agência Nacional de Águas (ANA), ontem, terça-feira, dia 26 de setembro, no Seminário “Água Potencial Hídrico do Norte de Minas”, realizado pela Sociedade Rural de Montes Claros e que reuniu 220 produtores da região.
Leonardo de Almeida apresentou os Estudos Hidrogeológicos na Região Hidrográfica do São Francisco e a Questão do Verde Grande, quando enfatizou que, na região formada pelo Norte de Minas e Bahia, são 25 mil poços legais e 70 mil ilegais.
Na abertura do evento, o presidente da Sociedade Rural, José Luiz Veloso maia, mostrou que a água de superfície está exaurida no Norte de Minas, pois o rio Verde Grande está servindo de trilha para o motocross na região de Jaíba, assim como os rios Quem Quem, em Janaúba, e Mosquito, em porteirinha, que são relevantes, acabaram por completo.
A solução passou a ser as águas subterrâneas, que esbarra na exploração excessiva e sem limites. "Fiquei assustado com os dados da ANA de que temos de 20 mil a 25 mil poços cadastrados. Para cada um, existem em média três poços clandestinos, o que daria uma média de 70 mil poços", afirma o presidente da entidade ruralista.
O coordenador da ANA, Leonardo de Almeida, explica que somente no rio Vieira são cadastrados 1.120 poços em Montes Claros, enquanto no Vale do São Francisco, mais de 21 mil poços na área do Norte de Minas e Bahia. Somente no Norte de Minas são 10 mil poços cadastrados, sendo que a média é de três poços clandestinos para cada cadastrado, o que deixaria o Norte de Minas com 40 mil poços. Na Bahia, são 11 mil poços, sendo uma média de cinco poços clandestinos para cada cadastrado, o que faria um total de 66 mil poços.
Leonardo de Almeida lamenta a falta de informações da realidade, mas que precisa ser assinado o sinal de alerta, pois coloca em risco esse acervo. Sua estimativa é que se persistir a atual situação, o aqüífero suportará mais de 10 anos de extração. (Fonte: jornal Gazeta Norte Mineira)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ACIDENTE NA MG-401, PERTO DE JANAÚBA; UMA PESSOA MORREU E OUTRA FICOU FERIDA: CAMINHÃO TOMBOU

SISTEMA DE SAÚDE VERIFICA CASO SUSPEITO DE CORONAVÍRUS EM JANAÚBA

ASSASSINATO EM JANAÚBA: VÍTIMA MORREU AO SER ATINGIDA POR GOLPE DE FACA