NASCENTE DESAPARECE NA ÁREA DO RIO CONGONHAS

Foto Oliveira Júnior


Contraste na região do rio Congonhas: córrego de Estiva secou e plantio foi feito em distância inferior ao permitido.
BOTUMIRIM (por Girleno Alencar) – Uma cena que impressionou os participantes da Expedição Caminhos dos Gerais foi como o Córrego de Estiva desapareceu por completo. A comitiva chegou ao local aproximadamente ao meio dia, quando encontrou sem qualquer gota de água e sua vegetação seca. Lucas Pereira Alves, do Instituto Grande Sertão e que exerce a função de ornitólogo, ou seja, que estuda as aves, afirma que essa situação tem ocorrido nos últimos cinco anos seguidos, com duas explicações básicas: os danos ambientais aliados a seca que tem afetado o Norte de Minas nos últimos seis anos. O Córrego Estiva deságua no rio Congonhas.
Foto Oliveira Júnior
Lucas Alves, especialista em catalogar as aves em região que conhece muito bem.
Outro aspecto observado por Lucas Pereira é que desde quando retiraram o Pinus e colocaram o eucalipto que o córrego começou a enfrentar problemas. A situação da nascente do córrego sentiu ainda mais o impacto, pois foi realizado o plantio de eucalipto a 10 metros de distancia quando a lei determina uma distancia mínima de 30 metros. Com a experiência de conhecer a área na palma da mão, pois seu pai Benvindo Antônio Alves trabalhou durante 27 anos na Usina de Santa Marta e agora é substituído por sua mãe, Alzira Pereira Alves, Lucas afirma que a crise da Bacia do Congonhas levou a usina a ser desativada há dois anos.
A referida usina foi construída em 1944 pelo então presidente Getúlio Vargas, com potencial para 150 quilowatts, sendo até então a quinta usina desse porte na América Latina. Até o ano de 1969 era responsável pelo fornecimento de energia para a cidade de Montes Claros. Construída pela empresa Minas Energia, a usina foi repassada a Cemig. Desde quando foi construída sempre esteve em funcionamento, até que nos últimos dois anos suas atividades foram suspensas. (Fonte: jornal Gazeta Norte Mineira, edição de 9 de setembro de 2017)
***O Jornalista Oliveira Júnior fez parte da 5ª Expedição Caminhos dos Geraes a convite do Instituto Grande Sertão, Fundação Genival Tourinho e da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Montes Claros.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POSSÍVEL IMAGEM DE NOSSA SENHORA NA SERRA ATRAI CENTENAS DE PESSOAS TODOS OS DIAS À VERDELÂNDIA

ACIDENTE NA MG-401, PERTO DE JANAÚBA; UMA PESSOA MORREU E OUTRA FICOU FERIDA: CAMINHÃO TOMBOU

SISTEMA DE SAÚDE VERIFICA CASO SUSPEITO DE CORONAVÍRUS EM JANAÚBA