FORMATURA DA 1ª TURMA DO CURSO BCT DO CAMPUS DE JANAÚBA DA UFVJM

Formanda divide mérito com os colegas que iniciaram a 1ª turma

Campus definitivo, na BR-122, será liberado este ano

Foto Oliveira Júnior
Adriele Mércia Alves Santos, Iago Aurino Marinho de Araújo e Francely Emily Lucas: formandos da 1ª turma de BCT da UFVJM, campus de Janaúba. 
JANAÚBA (por Oliveira Júnior) – Na noite de ontem, quinta-feira, 6 de abril, aconteceu a solenidade de formatura da 1ª turma de estudantes do curso Bacharel em Ciência e Tecnologia (BCT) do campus de Janaúba da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). Adriele Mércia Alves Santos, Francely Emily Lucas e Iago Aurino Marinho de Araújo concluíram a primeira etapa do curso, pois a partir de agora têm a prerrogativa de prosseguirem os estudos por mais dois anos na área de engenharia à escolha, podendo ser Engenharia Física, de Minas, Metalúrgica, de Materiais e Química Industrial.
Tanto a reitoria quanto os professores da UFVJM destacaram a ascensão dos três formandos os classificando como os desbravadores do campus da federal em Janaúba. Segundo eles, a área de exatas requer o máximo de atenção do acadêmico. “Não importa a quantidade, mas sim a qualidade e o passo dado para essa primeira vitória do campus dentro do prazo estabelecido”, esse foi o recado da instituição educacional que começou a funcionar no primeiro semestre de 2014.
Foto Thalis Antunes
Fase de construção, em novembro de 2016, do campus de Janaúba da UFVJM.
APESAR DAS DIFICULDADES, ALUNOS CAPACITADOS
A diretora do Instituto de Engenharia, Ciências e Tecnologia, professora Renata de Oliveira Gama, que é Doutora em Engenharia Metalúrgica e de Minas, fez um parâmetro do início do campus de Janaúba e da 1ª turma de BCT.  “Diante de tantas dificuldades com escassez de corpo docente e material didático, além de estrutura física precária estamos formando alunos capacitados intelectualmente e profissionais para o mercado de trabalho, bem como cidadãos comprometidos com o futuro dessa instituição”, declarou a educadora ao acrescentar que as dificuldades proporcionaram que a equipe ddo campus tivesse uma maior aproximação com os acadêmicos e permitindo conhecer característica de cada um deles.
PARANINFA COMEÇOU, NO CAMPUS, COM OS FORMANDOS
A professora Leila Moreira Bittencourt Rigueira, Doutora em Química Analítica, foi a paraninfa da 1ª turma. A escolha fez jus ao fato de que essa educadora foi testemunha dos passos dos primeiros matriculados no campus de Janaúba. Leila encontra nesse campus desde o princípio dessa unidade da UFVJM. “Turma preciosa”, declarou a paraninfa que orientou os formandos e demais estudante a momento algum desanimarem, apesar de que, muitas vezes, a trajetória pareça ser longa, difícil. Mas, não desistam.
FORMANDA DIVIDE MÉRITO COM OS COLEGAS
Com direito a torcida organizada com cartazes, apitos, aplausos e o nome em balões, a formanda Francely Emily Lucas foi a oradora da turma. Ela destacou o empenho dos professores que, apesar dos poucos recursos, transmitiram em boas aulas os seus conhecimentos aos acadêmicos. A oradora ressaltou a dedicação dos jovens estudantes, principalmente àqueles que vieram de outras cidades em superar os obstáculos ditante da família. “Hoje somos três graduandos, mas em nome de toda turma 01 de 2014, que devido aos inúmeros percalços pelo caminho, somos vencedores, somos os desbravadores”, finalizou Francely, que é de Taiobeiras, aqui no Norte de Minas.
FORMATURA DA SUPERAÇÃO
Na solenidade de colação de grau do curso de Ciência e Tecnologia do Campus de Janaúba, o reitor da UFVJM, professor Gilciano Saraiva Nogueira, definiu como uma formatura da superação a conclusão do Ensino Superior dessa 1ª turma da unidade janaubense. Ele enalteceu a determinação dos professores diante da situação improvisada, num ambiente não planejado. Mesmo assim, o reitor disse que o Campus de Janaúba “deu certo”, ao referir à primeira turma de formandos, pois “arrancamos o projeto do chão”.
CAMPUS DEFINITIVO, NA BR-122, SERÁ LIBERADO ESTE ANO
O reitor Gilciano Saraiva está confiante na retomada e avanço da obra do campus definitivo da UFVJM em Janaúba. Ele prevê que ainda neste ano a universidade federal sairá do Caic, no bairro Veredas, e passará a funcionar no campus na margem da rodovia BR-122, na saída de Janaúba para Montes Claros, cuja obra deverá concluída em agosto e em seguida iniciará a arborização do local. Atualmente com mais de 400 estudantes, o campus de Janaúba iniciará em sua sede própria em dois setores e, na medida do possível ampliará a estrutura física. O reitor informou que está adiantado o entendimento com a Copasa e com a Cemig quanto à instalação de energia elétrica, água e saneamento básico no campus, inclusive há sinalização de que a Copasa estaria disposta a isentar a UFVJM de custo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POSSÍVEL IMAGEM DE NOSSA SENHORA NA SERRA ATRAI CENTENAS DE PESSOAS TODOS OS DIAS À VERDELÂNDIA

ACIDENTE NA MG-401, PERTO DE JANAÚBA; UMA PESSOA MORREU E OUTRA FICOU FERIDA: CAMINHÃO TOMBOU

SISTEMA DE SAÚDE VERIFICA CASO SUSPEITO DE CORONAVÍRUS EM JANAÚBA